Paes assiste ao início do ano letivo na escola Tasso da Silveira

Menos de um ano após o 'Massacre de Realengo', a Escola Tasso da Silveira, na Zona Oeste, volta às aulas, oficialmente, nesta segunda-feira. O prefeito Eduardo Paes e a secretária municipal de Educação, Cláudia Costin, acompanham o primeiro dia de aulas na unidade, que tem 986 alunos, e foi completamente reformada e ganhou um prédio anexo. O projeto de modernização incluiu a incorporação de parte da praça vizinha ao terreno da escola, criando um espaço mais amplo para os alunos.

A área externa abrigará o painel de azulejos pintados pelos alunos e funcionários, equipamentos de ginástica para a terceira idade e mesas de jogos recreativos. A sala onde ocorreu a tragédia, em abril do ano passado, teve as paredes demolidas e virou área de passagem para um novo prédio, que tem quatro andares e conta com sala de informática, biblioteca, laboratório de ciências, auditório com capacidade para 100 pessoas, além de uma sala multiuso para aulas de dança e caratê.

Em 7 de abril de 2011, o ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, invadiu a escola armado com dois revólveres e começou a disparar contra os alunos, matando doze deles, com idade entre 12 e 14 anos. Oliveira foi interceptado por policiais militares, e cometeu suicídio. 

As vítimas fatais foram: Ana Carolina Pacheco da Silva, 13 anos; Bianca Rocha Tavares, 13 anos; Géssica Guedes Pereira, 14 anos; Igor Moraes, 12 anos; Karine Chagas de Oliveira, 14 anos; Larissa dos Santos Atanásio, 13 anos; Laryssa Silva Martins, 13 anos; Luiza Paula da Silveira Machado, 14 anos; Mariana Rocha de Souza, 12 anos; Milena dos Santos Nascimento, 14 anos; Rafael Pereira da Silva, 14 anos; Samira Pires Ribeiro, 13 anos.