Rio de Janeiro treina agentes penitenciários de outros estados

O curso de Combate em Ambiente Confinado qualificou 25 inspetores penitenciários de Minas Gerais e do Paraná e fuzileiros navais da Marinha. A especialização de 130 horas, promovida pela Secretaria de Administração Penitenciária no Centro de Instrução Especializada (Ciesp), em Bangu, é referência no País em intervenções em situação prisional.

As aulas, coordenadas pelo Grupamento de Intervenções Táticas (GIT), incluem disciplinas como gerenciamento de crise, revista pessoal e abordagem, agentes químicos e munição não letal.

As armas utilizadas pelos alunos são reais e os tiros são simulados por uma pistola de paintball. No terreno, há um presídio construído em alvenaria semelhante ao Complexo Penintenciário de Bangu.

Segundo o diretor do Ciesp, Paulo Vazquez, o interesse de outros estados pela especialização surgiu porque há quase cinco anos o Rio de Janeiro está livre de rebeliões.

"Essa é uma versão resumida do curso que os inspetores fazem ao entrar para o GIT", afirmou Vazquez.