Comdedine defende priorizar a educação nas comunidades pacificadas do Rio  

As ações das unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), que estão sendo implantadas pelo governo do estado nas comunidades populares da capital fluminense, não são suficientes para acabar com a violência nessa regiões, disse hoje (13) Regina Helena de Souza, secretária de plenário do Conselho Municipal dos Direitos do Negro (Comdedine). Na opinião da secretária, é preciso que a ênfase seja dada na questão educacional. "Hoje em dia não adianta tratar de segurança pública, sem falar primeiro de educação".

Regina Helena também falou, durante a posse da nova diretoria do Comdedine, sobre a importância do trabalho desenvolvido há 19 anos pelo conselho no resgate da cultura africana, em parceria com as escolas da rede municipal, envolvendo os alunos do pré-escolar ao ensino fundamental.

Segundo ela, as pesquisas feitas pelos alunos também auxiliam no conhecimento da história dos principais líderes negros, como é o caso do Zumbi dos Palmares. "É ter orgulho da nossa cultura. Falar quais foram os nossos grandes negros do passado, os nossos heróis, porque muitas pessoas pensam que o Brasil não tem heróis negros".

O Comdedine é um órgão municipal de integração com a comunidade e tem como objetivo combater o racismo, em todas as formas de manifestação, por meio de projetos e propostas de interesse da população negra.