Governo reforça atendimento às vítimas da enchente em Sapucaia

A Secretaria Estadual de Saúde montou um miniposto de saúde na igreja do distrito de Jamapará, no município de Sapucaia, no centro-sul fluminense para dar suporte as ações emergências de atendimento médico às vítimas de uma avalanche de blocos de pedra e terra ocorrida por volta das 3h, da madrugada de hoje (9).

Oito casas do alto de uma encosta foram arrastadas pela enxurrada. Oito corpos foram resgatadas dos escombros e, segundo parentes das vítimas, ainda há 13 desaparecidos. Sapucaia decretou estado de calamidade pública.

O Serviço Aeroespacial da Polícia Civil também está auxiliando no atendimento às vítimas na cidade de Sapucaia, utilizando um helicóptero, além do transporte de tropas do Corpo de Bombeiros que trabalham nas buscas aos desaparecidos, no distrito de Jamapará.

A subsecretária estadual de Saúde, Monique Fazzi, anunciou hoje a liberação de recursos para despesas especiais nos nove municípios das regiões norte e noroeste do estado, atingidos pela chuva desde o início do ano. Segundo Monique, as cidades com mais de 50 mil habitantes receberão R$ 100 mil e com menos de 50 mil moradores, R$ 25 mil.

Além disso, os kits de calamidade continuam sendo entregues aos sete municípios nas regiões norte e noroeste em estado de emergência, são eles: Aperibé, Laje do Muriaé, Santo Antonio de Pádua, Itaperuna, Italva, Cardoso Moreira e Miracema.

Chegam amanhã as regiões norte e noroeste do estado, 75 agentes da Operação Lei Seca, que irão atuar no suporte às cidades mais atingidas pela chuva. Os agentes vão auxiliar em ações como distribuição de alimentos, atendimento em abrigos, resgate de pessoas em áreas de risco e deslocamento de feridos.