Chuva faz preço das verduras e legumes aumentar , diz Acegri

As fortes chuvas que estão caindo no estado há duas semanas já repercutem na agricultura e, consequentemente, nos preços de hortifrutigranjeiros. Com lavouras atingidas pelas enchetes na Região Serrana, Norte e Noroeste, alguns alimentos já registraram aumento de mais de 100% no atacado, segundo a Associação Comercial dos Produtores e Usuários da Ceasa Grande Rio (Acegri).  O acréscimo nos preços deve ser repassado ao consumidor final.

“Toneladas de alimentos estão perdidas devido à dificuldade de escoamento e cheias nas áreas de cultivo. Infelizmente, o prejuízo acaba sendo repassado ao consumidor que, além de pagar mais caro, tem menos oferta nos mercados e feiras”, declarou o presidente da Acegri, Waldir Lemos.

Entre os produtos que já irão pesar no bolso da dona de casa estão o brócolis, que teve um aumento de 125%. Na semana passada, o amarrado da verdura, com aproximadamente 1 quilo, saía a R$ 4 reais. Hoje os boxes do Ceasa comercializavam a verdura por R$ 9 reais.

A abobrinha, o quiabo, o tomate e a vagem macarrão também já registraram aumento.  A caixa da abobrinha, com 14 quilos, passou de R$ 30 reais para R$ 60. A caixa da vagem macarrão com, aproximadamente 15 quilos, está custando R$ 100. Na semana passada ela custava R$ 40 reais - um aumento de 150%.

O quilo do quiabo, que saía em média a R$ 2,15 nos boxes, hoje estava sendo comercializado a R$ 3,60. O tomate é outro vilão da feira esta semana. O fruto registrou a elevação de 75% se comparado a primeira semana de janeiro. Mas de acordo com Lemos, o tomate deve ter o preço reduzido nas próximas semanas por conta do início da safra na cidade de Caçador, em Santa Catarina.