Com 60% de Italva debaixo d'água, prefeito pode decretar calamidade

Rio de Janeiro - Com cerca de 60% da cidade tomados pela água, após a chuva da madrugada de hoje (8), o município de Italva, no noroeste do Rio de Janeiro, pode decretar estado de calamidade pública. A informação foi dada pelo prefeito Joelson Gomes Soares. Segundo ele, mais de 7 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas, cerca de 700 estão desalojadas e 200 desabrigadas. Em Italva, há 12 mil habitantes.

“O município está perdendo o controle da situação. Depois da chuva que começou na noite de ontem e foi até as 4h da madrugada de hoje, não temos condições técnicas nem financeiras de atender mais a população. A gente está se sentindo impotente diante do que estamos vendo na cidade, apesar de estarmos trabalhando 24 horas por dia, com toda a nossa equipe de prontidão. A situação aqui é muito preocupante”, disse o prefeito, por telefone, à Agência Brasil.

Ele acrescentou que, diferentemente da enchente que ocorreu na cidade na semana passada, desta vez o volume de chuva surpreendeu as autoridades. “A enchente da semana passada foi programada, mas essa não. A previsão era que choveria na nossa região cerca de 30 milímetros ontem, mas só aqui no nosso município chegou a 130 milímetros”, lamentou.

Ele disse ainda que foram registrados vários pontos de deslizamento de terra e de muros. Cerca de 30 pessoas tiveram ferimentos leves e estão sendo atendidas em um pronto-socorro improvisado. Soares também pediu maior ajuda dos governos estadual e federal. “Talvez seja necessário montar um hospital de campanha já que o nosso pronto-socorro e o hospital particular que tem aqui estão interditados”, contou.

Em outro município da região, que também foi castigado pela chuva desta madrugada, Itaperuna, a Defesa Civil informou que uma pedra rolou de uma encosta no distrito de Raposo, atingiu uma casa, mas não deixou feridos. Quatro famílias que moravam próximo ao local foram retiradas e uma equipe de engenheiros vistoria os imóveis. Além disso, uma casa na localidade conhecida por Carula, também em Itaperuna, desabou nesta tarde, mas não houve vítimas.