Saúde atua para evitar agravamento de doenças após enchentes 

Cinco municípios do Norte e Noroeste já receberam kits calamidade e donativos 

Técnicos da Secretaria de Saúde do Rio participaram de uma videoconferência com representantes do Ministério da Saúde e das secretarias de Saúde de Minas Gerais e do Espírito Santo para discutir ações integradas para socorrer as vítimas das chuvas na Região Sudeste. Na reunião, os estados apresentaram balanços da semana e o planejamento para futuras atividades nas regiões atingidas. 

No Rio de Janeiro, a Secretaria de Saúde anunciou que, além de manter os esforços no abastecimento de medicamentos e insumos, replicando o modelo implementado em 2011 após as chuvas na Região Serrana, vai voltar ao Norte e Noroeste Fluminense na próxima semana para a realização de um seminário a fim de capacitar profissionais de saúde na detecção de sintomas e tratamento de doenças comuns após enchentes, como a leptospirose. Ano passado, por conta de ações integradas como essa, entre mais de 700 casos da doença na Região Serrana, foi registrado apenas um óbito.

A Secretaria de Saúde está desde o início da semana dando apoio às cidades afetadas pelas chuvas e transbordamento de rios nas regiões Norte e Noroeste Fluminense. Cinco municípios já receberam Kits Calamidade, contendo medicamentos para a atenção básica, antibióticos, hipoclorito de sódio e álcool. Cada kit tem estoque para atender até 500 pessoas. Para chegar mais rápido à população, o material foi enviado de helicóptero a Laje do Muriaé, Santo Antônio de Pádua, Italva, Cardoso Moreira, Itaperuna e Aperibé.  

Neste sábado (7), serão enviadas 500 doses de vacina antitetânica para o município de Italva.

Os pontos mais afetados vêm recebendo atenção extra dos técnicos das áreas de Vigilância e Atenção à Saúde. A prefeitura de Aperibé solicitou à Secretaria de Saúde reforço no seu estoque de vacina e foram enviadas 200 doses contra tétano e difteria. A todas as cidades foram enviados também materiais informativos para que a população saiba como agir em caso de enchentes e alagamentos.

Alerta para aumento de doenças 

Duas equipes técnicas da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) seguem na região, visitando as cidades para acompanhar a evolução da situação de cada uma delas. Por conta disso, a Secretaria emitiu duas Notas Técnicas com orientações para que cada cidade faça a atualização da situação vacinal contra tétano. Isso se deve ao aumento do risco de contaminação da doença após chuvas fortes, alagamentos e enchentes. 

A equipe técnica da Secretaria também ressaltou que é importante que os municípios mantenham os estoques de imunobiológicos contra a Hepatite A para eventual necessidade de reforço da vacinação.

Além disso, foi distribuído aos gestores e profissionais de saúde instrução sobre quais são as corretas condutas para diagnóstico e tratamento de doenças como leptospirose, tétano, hepatite.