Queima de fogos da Penha decepciona moradores da região

A queima de fogos na Igreja de Nossa Senhora da Penha já é uma tradição para os moradores da região da Leopoldina, na Zona Norte do Rio. Mas, ao menos desta vez, o resultado não impressionou tanto quanto em outros anos, é o que dizem os espectadores.

Dezenas de pessoas se reuniram em uma passarela, que passa sobre a linha férrea, bem em frente ao templo. O ponto, considerado o melhor para observar a queima de fogos, é considerado a melhor vista para a igreja. Na arquibancada improvisada, o impacto do espetáculo pirotécnico não foi muito grande:

"Dessa vez os fogos não trouxeram nenhuma novidade ou composição especial. Foi repetitivo", afirmou uma moradora.

Opinião semelhante tem o casal Borges e Amália. Para ele, a celebração foi menor porque a pacificação da Vila Cruzeiro, comunidade vizinha à igreja, já não é mais uma novidade:

"Ano passado, logo após a pacificação, a prefeitura fez uma queima de fogos muito mais elaborada. Desta vez, os fogos foram mais espaçados para aumentar o tempo e não houve o mesmo cuidado. Naquela vez tinha até cinegrafista da Prefeitura aqui na passarela para filmar o resultado", lembrou.

Além dos fogos, a chuva também foi motivo de críticas. Amália, com bom humor, chegou a relacioná-la com o espetáculo no templo:

"Desde que começaram a fazer essa quieima de fogos, todo ano chove. Acho que eles deviam parar, para que a gente possa ter uma virada com tempo bom", brincou.