Polícia Civil combate atuação de milícias em Nova Iguaçu

Os milicianos Leandro Campos Matos, o “Branco”, e Michel dos Santos Azevedo foram presos, nesta sexta-feira, durante operação desencadeada pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) e 56ª DP (Comendador Soares), para desarticular uma das milícias que atua em Nova Iguaçu. A ação teve como objetivo cumprir quatro mandados de prisão temporária e seis de busca e apreensão, contra integrantes do grupo, que atuam no bairro de Palhada, naquela região.

O delegado titular da DHBF, Ricardo Barbosa, explicou que investigações estão em andamento para apurar homicídios naquela região, além de cobranças de taxas de sinal de TV a cabo e venda de gás a preços abusivos. O grupo pertenceria à milícia conhecida como Bonde do Jura, preso ano passado, por policiais da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas e Inquéritos Especiais. “Esses criminosos agiam explorando ‘gatonet’, a venda de gás a preços extorsivos e praticando homicídios. Esse grupo é envolvido em inúmeros homicídios, por disputas territoriais entre milicianos e pessoas que não eram envolvidas com a milícia, mas não concordavam com as atividades do grupo”, afirmou.

Durante as buscas, os agentes estouraram uma central clandestina de distribuição de TV a cabo, além de uma pistola calibre 40 e uma touca ninja, em uma casa em Nova Iguaçu. A arma passará por confronto balístico para confirmar se foi usada nos assassinatos envolvendo o grupo, inclusive de um casal, no último domingo (27/11).

Segundo o delegado titular da 56ª DP (Comendador Soares), Delmir da Silva Gouvea, a operação foi o ponto inicial no combate à atuação das milícias na região. “Essa é a primeira de outras que virão para combater essa atividade ilegal, seja a de sinal de TV ou até mesmo na venda de gás, onde eles monopolizavam esse comércio e cobravam da população daquela região preços absurdos, que se via obrigada a pagar um preço alto por aquele produto porque não tem condição de comprar em outro local. Então essa operação de hoje é a inicial, outras virão. Várias milícias atuam na região, mas são fragmentadas e nós vamos continuar combatendo a atuação delas”.

A chefe de Polícia, Martha Rocha, ressaltou que o combate às milícias é uma ação constante da Polícia Civil. “O enfrentamento da questão da milícia é algo muito importante e já ficou demonstrado isso, várias vezes, pelas ações realizadas pela Polícia Civil. Dessa vez, aglutinamos duas delegacias para começar esse trabalho de repressão às milícias de Nova Iguaçu”.