Viúva da Mega-Sena diz que traía vítima: 'tinha disfunção erétil' 

A viúva do ganhador da Mega-Sena Renné Senna, Adriana Almeida, afirmou em depoimento à Justiça nesta quinta-feira que traía o milionário com um amante, Sérgio. "Eu traí por carência. O Renné estava com disfunção erétil. Traí apenas por satisfação sexual", disse ela.

O caso da "viúva da Mega-Sena"

Adriana é suspeita de ter mandado matar o marido em outubro de 2006 por ter descoberto que ele pretendia excluí-la do testamento. A fortuna do milionário morto é avaliada em R$ 70 milhões atualmente. O dinheiro é disputado pela viúva e pela filha de Renné, que receberiam cada uma 50% do patrimônio conforme o testamento do ganhador. Se condenada, Adriana perderá o direito a seu quinhão.

Em seu depoimento, que começou por volta das 15h40, ela disse que o relacionamento com a vítima começou na virada de 2006 para 2007, quando foram para a casa dele na Barra da Tijuca. "Gostava muito dele, era um cara muito carinhoso. Ele precisava mim e eu dele. Eu era apaixonada quando o conheci", disse. Ela negou ainda que tenha afastado o homem da família e afirmou apenas que os parentes do ganhador tinham que avisar quando fossem visitá-lo.

A respeito do testamento, ela disse que sabia que seu nome constava nele, embora desconhecesse o valor a ser recebido. "Eu sabia que estava incluída no testamento, porém não tinha ideia de quanto eu seria beneficiada."