Polícia estoura casa de Nem e Danúbia no alto da Rocinha

Depois de encontrarem o refúgio do traficante "Peixe" - um dos principais comparsas de Nem - , agentes que vasculham todos os becos e vielas da Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, localizaram duas luxuosas casas que pertenceriam ao traficante Antônio Bonfim Lopes e de uma de suas mulheres, Danúbia.

A casa apontada pela polícia como de propriedade de Nem tem piscina, churrasqueira e uma enorme sacada. Da varanda, é possível avistar toda a favela e perceber a chegada da polícia.

>> Rocinha tem escolaridade média de 5,1 anos

>> Já são 500 kg de drogas, 10 mil munições, e 33 veículos apreendidos

>> Meta de 40 UPPs no Rio até 2014 está mantida, diz Beltrame

>> Caminhonete Hilux roubada e 32 motos são apreendidas

A ocupação das favelas da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu começou  por volta das 4h deste domingo e não houve resistência dos cerca de 200 traficantes da região. A resistência dos criminosos limitou-se a despejar óleo nas ruas e construir barricadas. As armadilhas foram facilmente ultrapassadas pelos mais de 3 mil agentes que atuam na operação Choque de Paz.

Beltrame admitiu que bandidos estão foragidos

Em ntrevista coletiva na tarde deste domingo, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame admitiu que ainda há muitos bandidos foragidos, mas que o principal objetivo das forças policiais era de devolver o território para o Estado e para a população. 

"Esse trabalho ainda é muito prematuro, temos apenas 4h de operação, e agora foi dado o ponto para que as instituições começassem a varredura", informou Beltrame. "Já temos armas e motocicletas apreendidas, mas a área é muito grande", continuou, informando que até o fim do dia se reunirá novamente com a imprensa com novas informações.

Beltrame disse ainda que a realização de novos concursos e o cronograma de formação de policiais para atuar nas unidades de Polícia Pacificadora (UPP) são “questões que precisam ser enfrentadas”. Ele ressaltou, no entanto, que o plano de expansão das UPPs para atingir 40 unidades até 2014, conforme previsto pelo governo, está mantido.

“Todas essas questões são importantes e têm que ser enfrentadas. Podem cobrar do administrador público atitude, mas não podemos deixar de fazer achando que não vamos conseguir. Este programa está previsto, foi estabelecido nas 40 unidades, tem condição de acontecer e assim será feito”.