Cabral não revela data da ocupação da Rocinha, mas espera entrada pacífica da PM

Governador pede que traficantes se entreguem antes da invasão à comunidade

O governador do Rio, Sérgio Cabral, deu entrevista nesta quinta-feira à rádio CBN, mas não revelou a data da ocupação policial na Favela da Rocinha. Ele espera que a entrada da PM na comunidade ocorra de maneira pacífica. "Nos próximos dias ocuparemos esse território. Estamos prontos para tudo, mas esperamos que os marginais que ainda estão lá não reajam e se entreguem às autoridades, para que possamos fazer uma ocupação sem nenhum confronto", afirmou Cabral.

O governador também informou que todos os criminosos presos na operação dos últimos dias na Rocinha e Vidigal, incluindo o traficante Nem, serão mandados para presídios de segurança máxima, fora do estado do Rio. "A Secretaria de Segurança já está providenciando toda a documentação para enviar esses marginais para fora do Rio de Janeiro", ressaltou.

Sobre a prisão do traficante Nem, na madrugada de hoje, Cabral disse que o governo não valoriza determinada pessoa que é presa. "Claro, que é um marginal, líder da organização, mas isso ainda não acabou. A região está cercada", acrescentou.

Sérgio Cabral também afirmou que os fuzileiros navais participarão da invasão à Rocinha. "Nós tivemos inúmeros boatos nos últimos dias, isso faz parte de todo o contexto de pacificação. O que peço é tranquilidade. Confiem na policia, permaneçam nas suas residências. Acredito que não vai haver confronto, peço aos marginais que se entreguem, mas estamos prontos, com blindados da Marinha, com nossos blindados. Tudo está pronto para qualquer tipo de reação dos marginais, mas acredito que se dará de maneira pacífica e tranquila. A integração entre as polícias é muito forte e com inteligência conseguiremos de maneira pacífica conquistar estes territórios", enfatizou o governador do Rio.