Advogado de Nem oferece R$ 1 milhão para policiais libertarem traficante

O policial que efetuou a prisão de Nem, na madrugada desta quinta-feira, informou à rádio CBN que um advogado do traficante ofereceu R$ 1 milhão para que o criminoso fosse libertado. Ainda segundo a emissora, no veículo em que Nem foi encontrado, estava o cônsul honorário da República do Congo.

O traficante foi levado para a sede da Polícia Federal, no Centro do Rio, para prestar depoimento.

Nem foi pego em frente ao Clube Piraquê, na Lagoa, Zona Sul do Rio, a bordo de um Corolla preto, junto a outros dois comparsas. As primeiras informações dão conta de que não havia armas com o trio, que carregava uma mala, provavelmente, cheia de dinheiro. 

Mais cedo, a Polícia Federal (PF), com apoio da Secretaria de Estado de Segurança (SESEG), da Subsecretaria de Inteligência e da Superintendência de Inteligência do Sistema Penitenciário, desencadeou uma operação que resultou na apreensão de armas e drogas oriundas da Favela da Rocinha e na prisão de 10 pessoas, sendo quatro policiais e um ex-PM.

Entre os bandidos estava o braço-direito de Nem, o traficante Anderson Rosa Mendonça, o Coelho, chefe do tráfico no morro de São Carlos.

Os custodiados estavam distribuídos em quatro carros e foram interceptados quando saíam da Rocinha, próximo a um shopping na Gávea.

Foram apreendidos três fuzis, 11 pistolas, cinco granadas, jóias, cordões de ouro, dinheiro e drogas.

A Secretaria de Segurança prepara uma invasão à Rocinha, prevista para ocorrer nesse fim de semana. A ação vai marcar o início da pacificação da comunidade, que receberá uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).