PM nega que reabertura da UPA da Maré tenha relação com prisão de ex-comandante

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Maré, na Zona Norte da cidade, foi reaberta na manhã desta quarta-feira (28) pelo secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes, e o comandante geral da Polícia Militar em exercício, coronel Álvaro Garcia. A unidade estava fechada há dois dias, devido a problemas de segurança naquela região. 

Questionado sobre a relação da reabertura da unidade com a prisão do tenente-coronel Claudio Luiz de Oliveira -  já que o oficial foi quem requisitou o fechamento da unidade devido a presença de traficantes fortemente armados naquela região - Garcia negou a relação entre os fatos. 

>> Apesar de mandante da morte de juíza ser de alta patente, Beltrame diz que comandante-geral goza de sua confiança

>> Delegado: Patrícia Acioli mandaria prender tenente-coronel

>> Acusado de ser o mandante da morte da Juíza Patrícia Acioli, ex-comandante do 7º BPM (SG) vai para Bangu 8 

>> Pensão para filhos de Patrícia Acioli foi concedida em tempo recorde

>> Imagens mostram perseguição que antecedeu morte de Patrícia Acioli

Ele afirmou ainda que, se Cláudio Luiz de Oliveira não estivesse preso, a UPA da Maré seria reaberta do mesmo jeito.

Cláudio Luiz de Oliveira, ex-comandante do 22º BPM (Maré), está sendo acusado de ordenar a execução da juíza Patrícia Acioli, morta em agosto último. Na ocasião, o tenente-coronel ainda era comandante do 7º BPM (São Gonçalo). 

O secretário de Saúde, Sérgio Côrtes, afirmou a unidade já está em condições de funcionar sem novos problemas.

"Vamos voltar a atender todo mundo com qualidade. O que os criminosos não podem pensar é que a UPA é deles", disse Côrtes, logo depois do coronel anunciar um reforço no policiamento na região da UPA. Segundo Garcia, até a próxima segunda-feira não há previsão de novas operações policiais na região.