Caso Rafael: PM pede GPS de viatura de suspeitos de propina

Portal Terra

RIO - A corregedoria da Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro afirmou que a viatura na qual estavam os dois policiais militares que supostamente liberaram o atropelador de Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, tinha sistema de localização por GPS. A corporação diz que já pediu à empresa responsável os dados de localização do veículo, o que pode confirmar a versão do motorista de que os dois PMs pediram propina para liberá-lo. Mascarenhas morreu no acidente. As informações são do Fantástico.

Segundo a reportagem, o motorista e os policiais foram a uma rua arborizada e sem vigilância eletrônica para combinar a propina, mas imagens de câmeras de segurança mostram parte da rota dos veículos, inclusive ao passarem em frente à portaria da TV Globo. Isto também pode ajudar a confirmar a versão de que houve cobrança de propina por parte do sargento Marcelo Leal Martins e do cabo Marcelo Bigon.

A corregedoria tenta nesta semana conseguir na Justiça a prisão preventiva dos dois, que já cumprem prisão administrativa.