Operação Ghost da PF desarticula quadrilha que fraudava benefícios

JB Online

RIO - A Delegacia de Repressão a Crimes Previdenciários, com o apoio da Assessoria de Pesquisa Estratégica do INSS, deflagrou na manhã desta terça-feira a Operação Ghost, para desarticular uma quadrilha que fraudava benefícios.

A investigação policial foi iniciada há seis meses para apurar a possível ilegalidade no requerimento/concessão e no saque de benefícios assistenciais e previdenciários, principalmente pensões por morte, por intermediários e servidores da Previdência Social, utilizando, a princípio, dados de pessoas falecidas ou inexistentes, motivo pelo qual a investigação foi batizada de Operação Ghost (fantasma na língua inglesa).

A Operação conseguiu desarticular uma organização criminosa, baseada em uma funerária, que criava segurados fictícios e relações de dependência econômica inexistentes, a partir da falsificação de documentos públicos e da leniência de servidores da Previdência Social, para requerer e sacar benefícios previdenciários e assistenciais fraudados, notadamente após a morte de um segurado do INSS que não deixou dependentes econômicos.

De forma reiterada, a quadrilha, ainda, efetuava empréstimos consignados nos benefícios fraudados, adiantando o produto do crime, temerosos que as irregularidades pudessem ser descobertas e os vencimentos que auferiam chegassem ao fim.

A quadrilha atuava desde o final da década de 90, já tendo causado prejuízos aos cofres da Previdência Social da ordem de aproximadamente R$ 1 milhão.

Na Operação Ghost foram expedidos 13 mandados de prisão temporária, além de 24 mandados de busca e apreensão, ficando comprovada a prática dos crimes de estelionato, inserção de dados falsos em sistemas de informação e formação de quadrilha.

Cerca de 100 policiais participam da operação, cumprindo mandados de prisão e de busca e apreensão na Região dos Lagos e em bairros dos subúrbios cariocas.