Veículos foram estacionados sobre calçadas e tombados pela água

Thiago Feres, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Durante a manhã de terça-feira, enquanto algumas pessoas contabilizavam os prejuízos causados pelo forte temporal, outras ainda tentavam chegar às suas casas. Na região da Leopoldina e na Praça da Bandeira, o cenário era desolador. Famílias inteiras passaram a noite dentro de veículos inundados e carros foram abandonados pelos seus proprietários na via.

As faixas de rolamento, utilizadas normalmente pelos veículos, foram ocupadas pela população, já que quase todos os destinos estavam interditados. Sonolento dentro do ônibus da linha 1013 (Saens Peña - Freguesia) quebrado na Avenida Francisco Bicalho o motorista Ronaldo Ribeiro, 48, esperava pelo reboque da empresa.

Deixei o ponto final terça-feira às 20h e fiquei preso no trânsito da Avenida Brasil. O carro quebrou, e dormi. Só espero que a esposa acredite brincou.

O bom humor do motorista contrastava com o desespero de algumas pessoas. Na Rua Senador Furtado, duas cenas incríveis: na primeira delas, um veículo tombou com a força da correnteza. Mais adiante na via, a chuva fez com que um carro estacionasse sobre outro.

Na Praça da Bandeira, o painel eletrônico da CET-Rio recomendava que os moradores não saíssem de casa devido o alagamento das vias. Em um posto da Avenida Radial Oeste, uma bomba de gasolina tombou com a pressão da água. Por todos os cantos, era possível encontrar carros enguiçados e cheios de lixo.