Governo Federal libera verba para Angra e Baixada

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Para se recuperar dos estragos causados pelas chuvas, o município e Angra dos Reis vai receber uma ajuda emergencial de R$ 180 milhões. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo governo federal, que também destinará R$ 50 milhões para cidades da Baixada Fluminense atingidas pelas enchentes, como Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Belford Roxo, Mesquita e São João de Meriti. Ao todo, a ajuda será de R$ 130 milhões. O dinheiro deverá ser utilizado na realocação de casas construídas em áreas de risco e na recuperação de encostas.

A verba será liberada emergencialmente, por meio de medida provisória. O município da Costa Verde poderá receber mais recursos nos próximos meses. Após sobrevoarem o Morro da Carioca, onde 21 pessoas morreram após deslizamento de terra, os ministros das Cidades, Márcio Fortes, e da Integração Nacional, Geddel Vieira, anunciaram que, na próxima quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva discutirá a possibilidade de destinar mais dinheiro à região, a fim de que sejam executados programas para a prevenção de enchentes em Angra. A verba deverá ser liberada por meio do PAC da Mobilidade.

O ministro das Cidades explicou que, para dar apoio aos desabrigados, o município de Angra poderá contar ainda com recursos da Caixa Econômica Federal (CEF), no projeto Minha Casa, Minha Vida, além de verbas do Crédito Solidário.

Segundo o ministro, há um terreno na cidade onde podem ser construídas 480 casa.

Conversei com o prefeito Tuca Jordão, e ele disse que tem um terreno disponível em Monsuaba relatou Márcio Fortes.

Em todo o estado, 74 pessoas morreram vítimas das chuvas. Somente em Angra foram encontrados 52 corpos. Além dos ministros, a cidade recebeu nesta quinta a visita do governador Sérgio Cabral, acompanhado de dois secretários e do vice-governador Luiz Fernando Pezão.

Ajuda para trabalhadores

Outra ajuda para os moradores de Angra dos Reis e da Baixada que ficaram desabrigados também deve ser anunciada na próxima semana. O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou que o presidente Lula vai assinar um decreto para liberar os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para a população atingida. Somente em Angra, por exemplo, cerca de 40 mil trabalhadores poderão sacar um total de R$ 9,3 milhões.

Para receber o dinheiro, no entanto, os prefeitos das cidades atingidas devem correr para garantir que o processo não esbarre na burocracia. A verba só será liberada para os municípios que tiverem declarado estado de calamidade. A documentação deve estar homologada pelo Ministério das Cidades.