Guerra: Antropóloga defende a entrada da Polícia Federal

JB Online

RIO - A antropóloga Alba Zaluar, em entrevista na manhã desta segunda-feira à Globo News, defendeu uma nova forma de combate ao crime organizado no país diante da atual realidade. Alba frisou que o fato da ordem de invasão ter saído do presídio de Catanduvas, no Paraná, demonstra que o crime se organizou e precisa ser combatido com uma estratégia nacional.

- Dizem que a Olimpíada é do Brasil. O problema da criminalidade também é do Brasil. Esta concentração de presos num único presídio impõe a presença da Polícia Federal - afirmou.

Alba se mostrou surpresa com a utilização de uma metralhadora antiaérea dentro do morro, que derrubou o helicóptero da Polícia Militar.

- Isso demonstra que há vontade de mandar uma mensagem ao governo estadual, que tem sido determinado a combater o tráfico. O poder publico tem de recuperar o território ocupado da cidade e por isso é esperada a reação das pessoas que estão sendo prejudicados em seus negócios - defendeu.

Segundo a antropóloga, a polícia do Rio deve passar da postura reativa

para outra pró-ativa, em que intercepta informações e se antecipa a ações como a de sábado, quando o Morro dos Macacos foi invadido por um grupo rival de traficantes.

- Isto exige um investimento maior, salários melhores, a fim de que as investigaões sejam mais contundentes, concluiu.