Cadastro Único do Comércio Ambulante abriu inscrições nesta segunda

JB Online

RIO DE JANEIRO - A Secretaria Especial da Ordem Pública (Seop), da prefeitura, iniciou nesta segunda-feira, com 719 inscrições, o Cadastro Único do Comércio Ambulante (Cuca), direcionado a camelôs que não possuíam a última licença expirada em 31 de dezembro de ano passado e pessoas que desejam passar a trabalhar como vendedores ambulantes no Rio de Janeiro. Ao todo, 1837 candidatos compareceram aos postos de atendimento distribuídos por diversos pontos da cidade; porém, muitos estavam sem a documentação para se inscrever.

O Cuca vai até 31 de agosto e deve completar as 18.400 vagas de vendedores ambulantes previstas por lei municipal, de acordo com a Secretaria da Ordem Pública. Dentre eles, restam 14.407 postos abertos, pois os primeiros 3.993 foram garantidos por camelôs que trabalhavam com a licença anterior, expirada na virada do ano, e se recadastraram entre junho e julho. Os 719 inscritos também não têm lugar garantido, segundo a Seop. Eles ainda passarão por seleções posteriores.

No primeiro dia do Cadastro Único do Comércio Ambulante, a Inspetoria Regional de Licenciamento e Fiscalização (IRLF) com maior número de inscritos foi a 14ª (Irajá), com um total de 72 cadastrados.

A região com mais atendimentos, foi a 15ª IRLF, em Madureira, que somou 280 atendimentos e 68 inscrições.

Em seguida, ficaram empatadas a 17ª IRLF (Bangu); a 16ª IRLF (Jacarepaguá) e a 3ª IRLF (Castelo), cada uma inscrevendo 55.

A 5ª IRLF (Copacabana) inscreveu outros 52 candidatos; enquanto a 4º IRLF (Catete) e a 18ª IRLF (Campo Grande) registraram, cada uma, 50 aspirantes a camelô. A 12ª IRLF (Ilha do Governador) foi a menos procurada, com apenas seis inscritos.

Segundo secretário da Ordem Pública, Rodrigo Betlhem, o objetivo do cadastro é banir das ruas os empresários do asfalto e dar licença para quem precisa trabalhar . Saberemos quantos são os ambulantes do Rio e onde eles atuam. Com a licença, o ambulante não será refém de interesses políticos e terá maior segurança afirmou.