Desafio de ordenar Aterro do Flamengo não assusta

Carlos Braga , Jornal do Brasil

RIO - No fim da manhã de segunda-feira, Hilton Faria, à frente da 4ª Administração Regional (que cuida dos bairros Botafogo, Catete, Urca, Cosme Velho, Flamengo, Glória, Humaitá e Laranjeiras) suava para vencer as escadarias que cortam a favela Julio Otoni, localizada em Laranjeiras (Zona Sul do Rio).

Realizava uma vistoria, acompanhado por representantes de diversos órgãos da prefeitura, para verificar se o ecolimite estava sendo respeitado e quais tipos de obra a prefeitura poderia levar à comunidade para melhorar a qualidade de vida dos moradores. Além de tocar o dia-a-dia da 4ª região administrativa, Hilton Faria ganhou, na quinta-feira passada, a responsabilidade pelos 1.200.000 metros quadrados do Parque do Flamengo. Ele foi escolhido gestor interino do lugar até que a Secretaria da Casa Civil aponte o nome definitivo.

Antigamente, era a Fundação Parques e Jardins que indicava o gestor do parque. Hoje, é a Casa Civil. Acho que é um sinal da importância que o Parque do Flamengo tem para a cidade analisa Hilton Faria. Tem sido pesado, tenho acumulado funções. Mas já temos o diagnóstico dos problemas e quais vamos atacar.

Mais luz, menos churrasco

Um deles é a iluminação precária, agravada pelas lâmpadas queimadas. Hilton Faria garante que vai trocar todas as que não estiverem funcionando nos postes de 25 metros até o dia 25 deste mês. Ele adiantou que já firmou um acordo com a RioLuz. Além da melhoria na iluminação, ele quer aumentar o número de Guardas Municipais circulando pela área. Atualmente, há 12 guardas vigiando o lugar, número que deverá dobrar.

Queremos distribuir cartilhas para orientar os frequentadores sobre o que pode e não pode fazer. Churrasco, por exemplo, é proibido adianta. Quero licenciar uns poucos ambulantes, como os que vendem milho, churros, água de coco e pipoca. Queremos um ambulante limpo.

Um dos problemas que Hilton Faria planeja atacar logo é a venda de horários para a prática de esportes nas quadras. Ele diz que duas horas de uso dos campos de futebol são negociadas por R$ 50. Os atravessadores comparecem ao sorteio realizado a cada 15 dias e conseguem ficar com vários períodos.

Tem um sujeito que conseguiu três horários no sábado e mais três no domingo. Vou dar prioridade para as escolas prometeu Faria.

Quanto à falta de 44,2% das árvores que constavam no projeto original de Burle Marx, disse que sabe da intenção da prefeitura de promover o reflorestamento, mas disse desconhecer os prazos.

Vamos seguir as orientações da Fundação Parques e Jardins. Está sendo estudado o plantio de novas espécies tropicais, mas não sei quando deve ser feito.