Moda praia perde um ícone com a morte de Azulay

Iesa Rodrigues, JB Online

RIO - A moda carioca perde um dos grandes nomes da praia. O paraense David

Azulay fazia da Blue Man um resumo de comportamento e estilo, através

das coleções lançadas desde os anos 1970. quando começou a fazer cintos e biquínis. Desde esta época, sempre reinventou os modelos-ícones da marca, como os biquínis em jeans e tricô. Considerado o inventor do biquíni de lacinho, também foi pioneiro na utilização de trabalhos artesanais de cooperativas de bordadeiras.

Para os homens, criou o sungão; para as garotas, o sunkini. Além dos produtos, confeccionados na fábrica em Benfica, vendidos nas lojas da rede nacional e em Miami, onde a Blue Man foi a primeira marca brasileira a se instalar em South Beach, David sempre apostou na

participação de eventos. Quase sempre com desfiles espetaculares ou

performáticos, tanto no Rio como em São Paulo.

Entre os mais marcantes, destacam-se o que incluía autênticos salva-vidas de praias cariocas, na São Paulo Fashion Week, e o místico desfile com 700 figurantes em frente aos arcos da Lapa. A última apresentação foi no Claro Rio Summer, em novembro, com o tema Caminho do Ouro, desenvolvido com maiôs com recortes transparentes e biquínis mínimos.

David era irmão de Simon Azulay, outro talento da moda brasileira, que

faleceu em 1988. Um dos projetos de David Azulay era reviver a Yes,

Brazil, marca que pertenceu ao irmão.