Marcelo Crivella: aliança com Lula pela vitória

Renata Victal, Jornal do Brasil

RIO - Senador eleito em 2002 pelo Partido Liberal com mais de 3,5 milhões de votos, Marcelo Crivella é ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus e sobrinho de Edir Macedo talvez o seu maior estigma para conseguir convencer de vez os eleitores de que bnão transformará a cidade numa filial da igreja. Em 2004 foi o segundo colocado na disputa pela prefeitura do Rio, mas não conseguiu ir para o segundo turno contra Cesar Maia justamente por conta desta rejeição. Hoje no Partido Republicano Brasileiro (PRB), que se denomina como de centro-esquerda, Crivella conta com a popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para vencer a barreira do preconceito por seu passado religioso. E já mostrou, no Senado, posições progressistas, como a luta pela manutenção dos royalties do petróleo para o Rio de Janeiro.

Os royalties são parte integrante do arranjo federativo. Tratá-los de forma isolada é um erro incomensurável avisa.

Formado em Engenharia Civil, nunca escondeu ser crítico de condutas homossexuais. Compositor evangélico de sucesso, participou do projeto da Universal para evangelizar a África. Em todas as pesquisas aparece como o primeiro colocado. A morte de três jovens, entregues por patrulha do Exército a traficantes do Morro da Mineira, no entanto, fez estragos na imagem que vinha sendo reconstruída paulatinamente graças ao projeto Cimento Social. Pesquisa do IBPS divulgada na sexta-feira mostrou queda de seis pontos percentuais do candidato.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais