Vinte religiosos de diferentes credos desfilaram na Mangueira

Um Jesus de várias faces foi desfilado pela Estação Primeira da Mangueira na noite deste domingo (23), e o propósito foi "denunciar a hipocrisia dos falsos messias". O enredo “A verdade vos fará livre”, assinado pelo carnavalesco Leandro Vieira, abordando todo tipo de preconceito, principalmente a intolerância religiosa, despertou uma série de ataques, mas como o assunto é liberdade religiosa, sacerdotes e lideranças atenderam ao chamado do babalaô Ivanir dos Santos, que a pedido do carnavalesco, levou 20 religiosos de variados segmentos à frente da escola, representando a liberdade religiosa.

De diferentes segmentos, a maioria faz sua estreia na Sapucaí. Babalawo Ivanir dos Santos (Candomblé), pastora Lusmarina Campos Garcia (Luterana), pastor Mozart Noronha (Luterano), monge Beneditino Marcelo de Barros Souza (Católica); Jonathan Félix de Souza (auxiliar do Monge Marcelo), pastor Edson Fernando Almeida (Igreja Cristã de Ipanema), pastor Júlio Oliveira (Comunidade Batista de São Gonçalo), reverenda Inamar de Souza (Igreja Episcopal Anglicana do Brasil), reverendo Rodrigo Coelho (Igreja Presbiteriana Unida do Brasil; pastor da Igreja Presbiteriana da Praia de Botafogo), reverendo Daniel Rangel (Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, representante do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs), pastor Eduardo Calil Ohana (representante da Aliança dos Batistas do Brasil), Mãe Maria da Conceição Cotta Baptista (candomblé - kwê Cejá Gbé), ogã de Casa Branca Rafael Soares de Oliveira (candomblé - representante do Forum Ecumênico Brasil ACT Aliança), Hélio Koifman (representante da Fraternidade Cristão-Judaica, seção judaica), Marco António Pinho Xavier (Umbanda), Maria Priscila Lisa das Chagas (Espiritismo), Sacerdote Bernardo Coupee Goncalves da Silva (União Wicca do Brasil), Raga Bhumi Devi Dasi - ISKCON (Hare Krishna), Jorge Ubirajara Pinheiro (Fé Bahá'í), Tereza Correa da Silva (Indígena- Etnia: Arapium), Monge zen-budista Alcio Braz (Zen-Budismo).

Macaque in the trees
Evelyn Bastos, rainha da bateria da Mangueira, desfilou vestida de Jesus para dizer que o Filho de Deus também está nas mulheres (Foto: Reuters/Pilar Olivares)

Morador do bairro da Mangueira, Ivanir trouxe ainda uma faixa onde estava escrito "Esse enredo é uma ode à liberdade. O Jesus da Mangueira é o Jesus da gente". O babalaô é interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) e conselheiro estratégico do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP), que realiza há 12 anos a Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, em Copacabana, e vem se firmando como uma ação inter-religiosa nacional e internacional, que busca fortalecer as lutas em prol da tolerância no Brasil. Nos últimos anos, a CCIR vem chamando a atenção da sociedade e das autoridades públicas para o perigo da construção de um estado teocrático em um país constitucionalmente laico como o Brasil.

"Queremos pontuar que a liberdade religiosa e qualquer tipo de liberdade precisa ser respeitada. Assim, a abertura do desfile da mangueira traz para a avenida a união, a força, e a luta em prol das o liberdades, da equidade, da pluralidade e da tolerância. A homilia que a Mangueira traz para a avenida coloca em questão o fortalecimento do diálogo Inter-religioso, visto que a promoção da liberdade religiosa é um dos maiores desafio para a sociedade contemporânea", declarou Ivanir no desfile.