Jornal do Brasil

Rio - Caderno Niterói

Cidade usa produto da China para desinfecção de ruas da cidade

Jornal do Brasil

Macaque in the trees
O trabalho, em paradas de ônibus e bancos onde os moradores sentam, está sendo feito inicialmente em Icaraí, na Rua Coronel Moreira César, onde ocorreu a maior parte dos casos da covid-19 (Foto: Reuters/Ricardo Moraes)

A Prefeitura de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, colocou em prática mais uma medida para conter o avanço do coronavírus na cidade.

A mesma tecnologia de desinfecção usada em cidades chinesas começou a ser aplicada em ruas do município. O trabalho, em paradas de ônibus e bancos onde os moradores sentam, está sendo feito inicialmente em Icaraí, na Rua Coronel Moreira César, onde ocorreu a maior parte dos casos da covid-19.

De acordo com o prefeito Rodrigo Neves, a decisão de iniciar as medidas profiláticas pelo bairro, deve-se ao fato de a região também ser o local com concentração mais elevada de moradores com idade a partir de 60 anos, além dos casos registrados da doença.

Todo o trabalho de desinfecção utiliza a mesma tecnologia e produto que foram usados na China, o quaternário de amônia de 5ª geração. O produto age como uma película que mata os micro-organismos que estão no local (vírus, bactérias, fungos e ácaros) e forma uma camada protetora que mantém o local desinfetado.

Rodrigo Neves enfatizou que a ação soma-se a outras que a prefeitura já desenvolve na cidade como forma de conter o avanço do coronavírus.

“É importante ressaltar que a ação já foi desenvolvida em países e cidades que enfrentam a epidemia do coronavírus. Com a técnica, a desinfecção em ambientes externos tem durabilidade de três meses e, em ambientes internos, seis meses. Nesta semana, vamos ampliar o efetivo de pessoas operando as máquinas de sanitização e avaliar, dia após dia, conforme a evolução do ciclo da epidemia dentro da cidade. Acredito que vamos dar uma resposta importante com mais essa iniciativa.”

Após a conclusão da aplicação em Icaraí, as equipes atuarão nas quatro unidades da rede municipal de saúde que são referência para o atendimento dos casos de coronavírus: Hospital Carlos Tortelly, no Centro, Policlínica do Largo da Batalha, na região de Pendotiba, Unidade de Urgência Mário Monteiro, na Região Oceânica, e a Policlínica da Engenhoca, na zona norte da cidade.

O prefeito falou ainda sobre a importância da quarentena e do isolamento social.

“As cidades que adotaram essas medidas foram as que enfrentaram a doença com menos mortes. Já percebemos que, em Niterói, o aumento dos casos tem sido com menos força do que em cidades vizinhas. Iniciamos a terceira etapa desse processo, que começou com o fechamento de teatros, cinemas, depois restaurantes, bares e praias e, agora, todas as atividades econômicas, com exceção de serviços essenciais. Por isso, reforço o apelo para que todos fiquem em casa.”

Ambulâncias

Niterói recebeu nesta segunda-feira (23) três ambulâncias com Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A entrega foi feita na unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), no bairro do Fonseca. O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, destacou a importância do reforço na frota para a retaguarda nos atendimentos.

“As ambulâncias são fundamentais, porque uma das questões decisivas para o tratamento dos casos graves de covid-19 é que, após a entrada na unidade de pronto atendimento, o paciente precisará ser estabilizado e rapidamente transportado para a unidade de referência de tratamento hospitalar. Junto com ambulâncias do Samu, elas possibilitarão agilizar o nosso tempo de resposta”, disse Oliveira.

Coronavírus

Do total de 233 casos da covid-19 registrados no Rio de Janeiro, Niterói tem 10 casos confirmados e um óbito. As outras três mortes no estado ocorreram em Miguel Pereira, Petrópolis e no município do Rio de Janeiro. (Agência Brasil)