Jornal do Brasil

Rio

Comércio de rua e salões de beleza no Rio reabrem neste sábado

Jornal do Brasil

 

Macaque in the trees
Centros comerciais da Barra da Tijuca ainda funcionam com restrições após decreto governo estadual que flexibiliza medidas de isolamento social pela pandemia do novo coronavírus (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
A reabertura do comércio de rua no Rio, incluindo salões de cabeleireiros e barbeiros, foi antecipada pela prefeitura para hoje (27). Os estabelecimentos estão autorizados a funcionar das 11h às 17h, para não se chocar com os horários dos shoppings, que abrem das 12h às 20h. O objetivo, segundo o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, é evitar lotação no sistema de transportes.

Os setores do comércio de rua e serviços chegaram ao limite com o fechamento das lojas de rua, desde o início da pandemia, segundo pesquisa da Federação do Comércio do Rio (Fecomércio). A crise foi mais forte nesse setor da economia e 40% dos negócios, que empregam de 1 a 9 funcionários, serão fechados em definitivo.

De acordo com o Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), 33,1% dos empresários do setor de comércio e serviços (dentro do conjunto de empresários que tem empregados) tinham demitido algum funcionário, chegando a aproximadamente 182 mil desempregados, até o dia 10 de maio.

O presidente da Federação do Comércio do Rio (Fecomércio RJ), Antonio Florencio de Queiroz Junior, disse que o comércio de rua representa a maior parte do comércio formal na capital carioca, gera milhares de empregos, renda e contribui de forma substancial na arrecadação de impostos para os cofres municipais.

“Diante dos riscos ao fôlego financeiro dos negócios, em especial às micro e pequenas empresas, e ao ameaçador crescimento do desemprego, trabalhamos exaustivamente para a abertura das lojas de rua. O retorno das operações do comércio, com certeza impactará positivamente no fortalecimento de toda a cadeia produtiva de comércio e serviços em nossa cidade”, avaliou.

Segundo Queiroz Junior, “o comércio de rua representa 70% do Produto Interno Bruto [PIB] do nosso estado e é um dos maiores geradores de empregos aqui na cidade do Rio de Janeiro, senão o maior”.

Reabertura

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decidiu antecipar a abertura do comércio de rua da cidade, além dos salões de beleza e barbearias, a partir das 11 horas de hoje.

De acordo com Crivella, a partir da próxima quinta-feira (2), poderão abrir as academias, os bares e restaurantes. Porém, os comerciantes deverão seguir regras de distanciamento e higiene, oferecendo álcool gel e sabão nas pias para lavagem das mãos, além de manter os ambientes abertos e ventilados.

Segundo o prefeito, a reabertura é possível porque se reduziram os índices de ocupação de enfermarias e UTIs, além do menor número de enterros na cidade, comparado ao ano passado. Para Crivella, isto é motivo de celebração.(Com Agência Brasil)