Jornal do Brasil

Rio

Crivella decide manter reabertura gradual no Rio apesar de decreto estadual que libera vários setores

Jornal do Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro decidiu neste domingo manter seu plano de reabertura gradual e em etapas das atividades produtivas e econômicas na cidade, mesmo depois de o governo do Estado liberar por decreto, já a partir da véspera, o funcionamento de diversos segmentos em meio à pandemia de Covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

O prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) anunciou que manterá seu planejamento de reabertura em seis fases, após se reunir com o comitê científico do governo municipal.

“A decisão de manter o plano de reabertura foi tomada por unanimidade”, disse Crivella a jornalistas neste domingo. “Se tudo correr bem, se tiver higiene, usar máscara, sem aglomeração, com certeza em agosto estaremos em um novo normal com a vida toda aberta na cidade”, acrescentou.

O plano municipal prevê uma abertura em seis fases, ou seja, a cada 15 dias, a depender da curva de contaminação da Covid-19 na cidade, do número de casos, óbitos e internações, do índice de transmissão da doença e da disponibilidade de leitos para tratamento.

Na primeira fase foi autorizado o funcionamento de lojas de móveis e decoração, concessionárias de veículos, atividades em centros esportivos e esportes aquáticos. Os camelôs cadastrados pela prefeitura também foram autorizados a funcionar na primeira etapa.

“O conselho científico debateu muito e... temos medo de recaídas, ainda mais num momento com melhora dos indicadores. Uma abertura ampla geral e irrestrita poderia ser prejudicial”, disse Crivella.

O Estado, através de decreto que entrou em vigor no sábado, liberou imediatamente pontos turísticos, shoppings centers, bares, restaurantes, jogos de futebol e outros. Mas a prefeitura só irá permitir a retomada de centros comerciais e jogos de futebol a partir do dia 17. Os pontos turísticos na cidade, como Pão de Açúcar e Cristo Redentor, e os bares e restaurantes só podem reabrir na cidade a partir de julho.

“A gente converge nas recomendações para a reabertura, mas o que diverge é o ritmo”, disse o prefeito.

O Estado do Rio tem 67.756 casos confirmados de Covid-19 e 6.707 mortos. Na cidade, são 36.115 casos e 4.462 óbitos.(Reuters)