Jornal do Brasil

Rio

Prefeito põe ônibus comuns para evitar superlotação no BRT Transoeste

Jornal do Brasil

Macaque in the trees
Crivella, prefeito do Rio (Foto: reprodução TV )

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou neste domingo (22/03) novas medidas para conter o avanço do contágio pelo novo coronavírus na cidade. Entre elas, a determinação para que ônibus comuns reforcem a linha TransOeste do BRT (Santa Cruz - Alvorada) a partir desta segunda-feira (23/03), como forma de conter superlotação.

 

Crivella participou de manhã, durante três horas, de uma videoconferência com o presidente da República, Jair Bolsonaro; o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; prefeitos e secretários de saúde das capitais. Em seguida, se reuniu com representantes do consórcio BRT e de empresas de ônibus no gabinete de crise montado pela Prefeitura no Riocentro, na Zona Oeste.

 

- A crise é grave e ficará pior se a gente entrar em pânico. Precisamos tomar nossas precauções. Não saiam de casa, para não se colocarem em risco. Principalmente os idosos, os que apresentem comorbidade e os que convivem com essas pessoas - alertou Crivella.

Veja os principais pontos anunciados neste domingo:

 

Ônibus comuns no mesmo trajeto do BRT Transoeste

 

A partir desta segunda, ônibus comuns farão também o trajeto do BRT TransOeste (Santa Cruz - Alvorada), direto, sem parar em pontos. E mais 15 veículos articulados do BRT TransOlímpica reforçarão a TransOeste.

 

Galões de água para higiene nas comunidades

 

Prefeito anunciou: "Vamos colocar galões com água e sabão para as pessoas lavarem as mãos na entrada das comunidades".

 

GM nos supermercados para proibir idosos

 

Prefeito repetiu que a recomendação é para idosos fazerem compra por entrega em domicílio. A orientação é para não irem aos supermercados. Se continuarem indo, a Prefeitura poderá colocar guardas municipais na porta e proibir a entrada de idosos.

 

Redução no RioCard gratuito para idosos

 

Crivella informou: "Vamos reduzir RioCard gratuito para idosos, deixar número mínimo possível, para que eles fiquem em casa".