Jornal do Brasil

Rio

Justiça decreta a prisão de três pessoas por desabamento no Rio

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A Justiça decretou a prisão temporária por 30 dias de três investigados no desabamento de dois prédios na favela da Muzema, na zona oeste do Rio de Janeiro. Eles são apontados como os responsáveis por construir e comercializar as unidades. O trio é considerado foragido.

Vítimas do desabamento apontaram José Bezerra de Lima, conhecido como Zé do Rolo, como o construtor dos imóveis e Renato Siqueira Ribeiro e Rafael Gomes da Costa como os corretores responsáveis pela venda.

Macaque in the trees
Desabamento de dois prédios na comunidade da Muzema, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, deixou mortos e feridos. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Os três foram reconhecidos por vítimas ouvidas na delegacia e também são investigados por envolvimento milícias, segundo disse a Polícia Civil do Rio de Janeiro, em nota.

O pedido foi feito pela delegada Adriana Belém, da 16ª DP (Barra da Tijuca). Ela disse que o caso está sendo investigado como homicídio com dolo eventual.

"A gente entende que aquele que constrói um prédio daquela forma, naquelas circunstâncias, assume o risco pela morte daquelas pessoas", disse ela à TV Globo.

Ao menos 20 pessoas morreram no desabamento, ocorrido há uma semana. Os bombeiros ainda atuam na área para tentar localizar três desaparecidos. A Muzema é uma área controlada por milicianos.

Em razão da quadrilha que atua no local, as vítimas do desabamento resistiam a ir à polícia contar o que sabiam sobre a construção e a venda dos imóveis. Belém não informou quantas testemunhas ouviu para pedir a prisão.

"Ontem foi o nosso primeiro contato com as vítimas que atenderam aos nossos apelos. Certamente, por motivos óbvios, apresentavam certa resistência. Mas buscaram na Polícia Civil um certo conforto e reconheceram o Zé do Rolo como o construtor e os outros dois os vendedores", disse a delegada. "São pessoas que vendiam sonho para pessoas humildes que receberam a tragédia, a desgraça", destacou Adriana Belém.

A reportagem não localizou a defesa dos três investigados.

Na quinta-feira (18), o corpo de uma mulher adulta foi encontrado sob os escombros dos prédios.

Entre os 20 mortos na tragédia, 18 foram retirados já sem vida dos escombros, enquanto outros dois vieram a óbito em unidades de saúde.

Na quarta (17), foi descoberto que uma das pessoas consideradas desaparecidas estava entre os mortos. A identidade, contudo, não foi revelada pelos bombeiros.

Desde o desabamento dos prédios, no dia 12 de abril, oito pessoas foram resgatadas dos escombros com vida e sobreviveram aos ferimentos. Três feridos seguem internados em hospitais do Rio.