Rio

Salve São Sebastião: no dia seguinte às festas por seu santo padroeiro, fotógrafo celebra as belezas do Rio

Neste domingo a muy heroica leal cidade se encheu de afeto para celebrar seu padroeiro. Sebastião foi um importante oficial soldado romano que, por não renunciar à fé em Cristo, acabou executado por determinação do imperador Maximiano, que estava disposto a reprimir a adoração ao filho de Deus. O martírio do militar que se tornaria santo, morto a flechadas, carrega grande simbolismo. Sua ligação com o Rio de Janeiro deve-se à associação com a morte de nosso fundador, Estácio de Sá, que não sucumbiu aos ferimentos provocados por uma flecha envenenada disparada por um índio durante uma batalha, em 1567.

Dizem os devotos que Sebastião serviu a dois exércitos, o de Roma e o de Cristo. Mas pudesse escolher um quartel-general, certamente seria a cidade mais bonita do mundo, que o acolheu com tanto carinho. E por ontem, em seu dia, o JORNAL DO BRASILpublicabelas imagens,algumas inéditas, de paisagens, personagens e costumes clicadas pelo fotógrafo Carlos Monteiro,autor do livro “Rio ao Amanhecer”(Barléu Editora). Este carioca, flamenguista e portelense, tem uma predileção pelas primeiras horas da manhã por sua luz singular e pela pouca interferência na paisagem. “É a hora que a maior parte da cidade está dormindo”, explica. Mas o Rio merece ter sua beleza louvada todas as horas do dia, sob as benções do padroeiro.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais