Jornal do Brasil

Rio

Sequência de incêndios evidencia falta de investimento e de manutenção na UFRJ

Jornal do Brasil

O incêndio de domingo (2) que destruiu o Museu Nacional do Rio de Janeiro é mais um episódio que evidencia a situação de abandono e de falta de manutenção da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Desde 2011, este foi o sexto incêndio registrado em um prédio da UFRJ, que, segundo relatos de alunos e funcionários, sofre com o corte de verba.

28/3/2011: Incêndio atinge três andares do Campus Praia Vermelha, em Botafogo, zona sul do Rio. Teria começado na Capela São Pedro de Alcântara, dentro do Palácio Universitário, que estava fechada há cerca de um ano e meio. Inaugurado em 1852, a construção é em estilo neoclássico. Ninguém ficou ferido.

Macaque in the trees
Um incêndio de proporções ainda incalculáveis atingiu, no começo da noite deste domingo (2), o Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista (Foto: ABr)

10/9/2012: Incêndio na Faculdade de Letras, na Ilha do Fundão, zona norte da cidade. Segundo nota divulgada pela universidade, há época, a provável causa do acidente é um curto-circuito dentro do almoxarifado, localizado no andar térreo do imóvel da faculdade. As aulas voltaram no dia seguinte. Sem registro de feridos.

10/12/2014: Incêndio atinge prédio do Centro de Ciências da Saúde da UFRJ, na Ilha do Fundão. Um curto-circuito em um aparelho de ar condicionado provocou um incêndio no laboratório de microbiologia da Universidade. Não houve vítimas.

3/10/2016: Fogo consome oitavo andar do prédio da reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no Fundão. No edifício também há salas dos cursos de Arquitetura e Urbanismo e Belas Artes, que foram interditadas. Não havia ninguém no prédio, o momento.

2/8/2017: O alojamento estudantil da UFRJ foi parcialmente afetado após um incêndio que começou na madrugada. Segundo informações, um foco foi detectado em um dos quartos no primeiro andar e o fogo se alastrou, em seguida, para outros oito apartamentos. Um estudante, que pulou do segundo andar, teve fratura exposta em uma das pernas.

2/9/2018: Casa de Dom João VI a Pedro II, hoje, Museu Nacional, de coordenadoria da UFRJ, foi destruído por um incêndio de enormes proporções, na noite desse domingo. A Instituição guardava acervo de mais de 20 milhões de itens, maior da América Latina. Dentre as perdas, considerado o maior tesouro arqueológico do país, está o esqueleto de Luzia, mais antigo já encontrado nas Américas, com cerca de 12 mil anos. O crânio de Luzia e a reconstituição de sua face – revelando traços semelhantes aos de negros africanos e aborígenes australianos – estavam em exposição. Como estava fora de horário de funcionamento, também não há registro de qualquer ferido.



Recomendadas para você