Recortes do Cinema da Coreia do Sul

A mostra reúne a moderna produção cinematográfica sul coreana

RECORTES DO CINEMA DA COREIA DO SUL - A produção cinematográfica sul coreana moderna é um dos raros casos em que os filmes nacionais são mais vistos que seus congêneres americanos. Além do sucesso local, os filmes coreanos também são distribuídos mundialmente e aclamados pela crítica especializada internacional. Até o dia 29 de janeiro, a mostra apresentará uma programação composta por dois tipos de filmes: os primeiros filmes de diretores hoje festejados e os que foram sucesso nos países asiáticos, mas que não chegaram ao Ocidente.  A programação também inclui cinco filmes do mestre Im Kwon-taek e sessões especiais à meia-noite, sempre às quintas e sextas, com filmes já distribuídos nacionalmente, mas que passaram rapidamente pelas nossa telas e títulos exclusivos da Embaixada e do Consulado da Coreia do Sul com temáticas de terror, violência e um tanto de sexo, drogas e rock'n roll. Centro Cultural Banco do Brasil, Rua Primeiro de Março, 66, Centro (3808-2020). Cinema 1 e 2: 102 pessoas.  Cinepasse: R$ 6 e  R$ 3 (meia-entrada). Credencial que dá direito a ver todas as sessões da mostra (mediante retirada de senha 30 minutos antes de cada sessão e sujeito à lotação). Até 29 de janeiro. 

>> Confira abaixo a programação até quinta-feira (12/01).

Cinema 2 

TERÇA-FEIRA, 10 de janeiro

16hAdeus, Mãe, de Jeong Gi-hoon (Coréia do Sul, 2009. 111 min. 14 anos). Com Choi Kang-hee , Kim Yeong-ae, Bae Soo-bin. Aeja tem 19 anos e sonha em se tornar escritora mas tem cuidar da mãe que sofre de câncer. Segundo a crítica, o estreante Gi-hoon soube driblar com habilidade o melodrama que o argumento sugere

18h30Cão que ladra não morde, de Bong Joon-ho (Coréia do Sul, 2000. 106 min. Livre). Com Bae Donna, Lee Sung-jae, Byeon Hie-bong. Professor universitário irritado com os latidos dos cachoros da vizinhança e cuja esposa espera o nascimento de seu filho, transforma-se num inesperado serial-killer de ... cachorros!  A festejada comédia de humor negro é o longa de estreia do diretor. Mostra Quinzena dos Realizadores - Festival de Cannes.  Sessão também à meia-noite no Cinema 1

QUARTA-FEIRA, 11 de janeiro

16hFuneral (Chukje), de Im Kwon Taek. (Coréia do Sul, 1996. 93 min. 14 anos). Com Ahn Sung-kee, Han Eun-jin, Jeong Seon-kyeong. Escritor famoso retorna a sua cidade natal para o enterro da mãe e encontra-se com uma sobrinha ilegítima. Ela é hostilizada pela família e durante a cerimônia, os conflitos afloram.

18h30Decolar, de Kim Yong-hwa (Coreia do Sul, 2009. 137 min. 16 anos). Com Lee Eun-Seong, Lee Se-Rang, Lee Hye-Suk. O filme  narra a criação do primeiro time nacional de salto em esqui do país. Em 1997, quando se preparava para receber as  Olimpíadas de Inverno de 2002, a federação internacional do esporte decidiu que a Coreia do Sul não poderia sediar os jogos sem ter um time de salto em esqui para representá-la. Filmes sobre esportes é um gênero em crescimento na produção cinematográfica sul-coreana e este é um dos exemplares recentes de maior sucesso.

QUINTA-FEIRA, 12 de janeiro

16hFabricantes de escândalos, de Kang Hyeong-Cheol (Coréia do Sul, 2008. 108 min. 16 anos). Com Cha Tae-hyun, Ahn Il-Kwon, Hwang Seok-hyeon. DJ trintão e boêmio descobre que pode ser pai de uma adolescente. Primeiro longa-metragem de Hyeong-Cheol , foi um dos maiores êxitos da temporada em que foi lançado

18h30Chunhyang – Amor proibido, de Im Kwoon-taek (Coreia do Sul, 2000. 120 min. 14 anos). Com Lee Hyo-jeong, Cho Seung-woo, Kim Sung-nyu.  Na Coreia do século 18, nobre da província apaixona-se pela bela e culta filha de uma cortesã, mas ela é condenada a morte por se recusar a ser amante no novo governador. Chunhyang participou da Mostra Competitiva - Festival de Cannes.