Greve de fome pela libertação de Lula

Lideranças de movimentos sociais iniciarão, amanhã, uma greve de fome pela libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há quase quatro meses em Curitiba. Onze pessoas ficarão acampadas em Brasília, privadas de alimento, em alusão aos 11 ministros do STF, aos quais os manifestantes pretendem sensibilizar para que julguem inconstitucional a prisão de Lula.

Mas a intenção é que o gesto seja reproduzido por outras lideranças nos estados. “Os movimentos sociais querem expressar, com a seriedade que o assunto pede, o desespero dos povos mais pobres que, no fundo, são os verdadeiros alvos que se buscou atingir com a prisão do presidente Lula”, explica Bruno Pilon, coordenador do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), que integra a Via Campesina, entidade organizadora da greve.