Favreto insiste e ordena imediata soltura de Lula

O juiz de plantão do Tribunal Regional da Quarta Região, Rogério Favreto, que ordenou neste domingo a soltura do ex-presidente Lula, voltou a publicar um mandato para que ele deixe a prisão imediatamente, depois de o relator da Lava Jato no TRF-4, Gebran Neto, ter revogado o pedido.

O impasse judicial - que em poucas horas fez pensar que Lula seria solto, que continuaria preso e agora novamente que será solto - está gerando uma grande confusão no país.

"Reitero o conteúdo das decisões anteriores (Eventos 3 e 10), determinando o imediato cumprimento da medida de soltura no prazo máximo de uma hora", escreveu às 16H12 o juiz Rogério Favreto do TRF-4.

A assessoria de imprensa do tribunal confirmou que, embora o juiz relator do caso tivesse cancelado a ordem pouco antes por considerar que não se pode desacatar uma decisão colegiada anterior, a ordem do juiz de plantão é a que vale agora.

Lula cumpre uma pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro desde o dia 7 de abril na sede da Polícia Federal em Curitiba.

csc/cc