MPF abre dois inquéritos para investigar desabamento de prédio em São Paulo

A Procuradoria da República em São Paulo instaurou dois inquéritos para investigar o desabamento do prédio no Largo do Paiçandu, no centro da capital paulista, ocorrido na madrugada da terça-feira, 1º.

"A investigação acerca da prática de atos de improbidade administrativa foi iniciada na Procuradoria da República em São Paulo, pois a propriedade do prédio ainda seria da União, de acordo com as últimas informações de que dispõe o MPF", diz decisão do Ministério Público Federal.

Uma das investigações irá apurar atos de improbidade administrativa por parte dos gestores responsáveis por zelar o edifício. Sobre responsabilidades do imóvel, governo federal e prefeitura de São Paulo tentavam chegar a um acordo.

União pede investigação sobre cobrança de aluguel em prédio que desabou

O MPF já havia instaurado procedimento em 2017. A Procuradoria chegou a pedir uma "reforma emergencial" do prédio, então ocupado por 150 famílias. De acordo com a investigação, o local não oferecia condições de segurança para seus moradores. Ademais, a edificação estava exposta a risco de incêndio.

De acordo com a Superintendência do Patrimônio da União em São Paulo (SPU/SP), em novembro passado, as reformas ficariam a cargo da Prefeitura. Em janeiro, a cidade iniciou negociações para que moradores deixassem o local. Um acordo, segundo a administração, vinha sendo costurado.