Dias Toffoli concede prisão domiciliar a Paulo Maluf

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli,  concedeu prisão domiciliar ao deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP) nesta quarta-feira (28). Maluf, de 86 anos, havia sido transferido da penitenciária da Papuda, em Brasília, onde cumpre pena por lavagem de dinheiro, para um hospital particular de Brasília, por volta das 0h desta quarta, após passar mal. 

“Como é do conhecimento de todos o quadro de saúde do dr. Paulo é grave, com constante e diário comprometimento, inclusive com permanente risco de óbito”, ressaltou na ocasião o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay,.

Desde que foi preso, em 22 de dezembro do ano passado, Maluf vem tentando obter o direito de cumprir sua pena em regime domiciliar, tendo como argumento sua idade avançada e seu estado de saúde debilitado, incluindo problemas cardíacos e de locomoção.

Condenação

Maluf foi condenado no ano passado pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de lavagem de dinheiro.

Ele foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter recebido propina em contratos públicos com as empreiteiras Mendes Júnior e OAS quando era prefeito de São Paulo (1993-1996). Os recursos foram desviados da construção da Avenida Água Espraiada, hoje chamada Avenida Roberto Marinho, diz a denúncia. O custo total da obra foi cerca de R$ 800 milhões.

As investigações se arrastaram por mais de 10 anos desde a instauração do primeiro inquérito, ainda na primeira instância da Justiça. Os procuradores responsáveis pelo caso estimaram em US$ 170 milhões a movimentação total de recursos ilícitos. O Supremo assumiu o caso após a eleição de Maluf como deputado federal.