Serraglio recusa Ministério da Transparência e tira foro de Loures

O ex-ministro da Justiça, Osmar Serraglio, decidiu que não vai aceitar o convite do governo para assumir o Ministério da Transparência. A informação foi passada a integrantes da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados, na manhã desta terça-feira (30), e confirmada em nota. 

"Volto para a Câmara dos Deputados, onde prosseguirei meu trabalho em prol do Brasil que queremos", diz Serraglio na nota enviada ao presidente. 

No domingo (28), Michel Temer anunciou a saída dele da pasta da Justiça e a posse de Torquato Jardim, então ministro da Transparência, para o cargo. Com isto, haveria uma troca de cadeira entre os dois. Era esperada uma confirmação de Serraglio ainda na segunda-feira (29). O Diário Oficial também não tinha oficializado a troca de cadeiras entre ministérios.

Serraglio estava à frente do Ministério da Justiça desde março deste ano, e agora retoma seu mandato de deputado federal pelo PMDB do Paraná, ocupado pelo suplente Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), citado nas delações da JBS. Loures foi gravado recebendo uma mala de dinheiro, devolvida recentemente à Polícia Federal. No sábado, surgiu a notícia de que Loures teria iniciado acordo de delação, o que complicaria a situação de Michel Temer.

O JB já havia antecipado no domingo (28) que, com a saída de Serraglio do Ministério, este reassumiria seu mandato de deputado, fazendo com que Loures perdesse o foro. 

>> Defesa de Temer pede inquérito separado de Aécio e Loures ao STF

>> 'Deputado da mala', Rocha Loures negocia delação premiada

>> Defesa de Loures deposita R$ 35 mil que faltavam em mala devolvida à PF

Há ainda a leitura de que a perda da prerrogativa de foro privilegiado estimularia Loures a fechar o acordo de delação premiada com a PGR.

Mesmo sem prerrogativa de foro, entretanto, o caso se Loures permaneceria no STF, já que o processo dele é atrelado ao de Temer.

Confira a nota de Serraglio:

Excelentíssimo Senhor Presidente da República

Agradeço o privilégio de ter sido Ministro da Justiça e Segurança Público do nosso País.

Procurei dignificar a confiança que em mim depositou.

Volto para a Câmara dos Deputados, onde prosseguirei meu trabalho em prol do Brasil que queremos.

Osmar Serraglio