Temer vai aguardar nome de relator da Lava Jato para indicar substituto de Teori

O presidente Michel Temer disse neste sábado (21), durante o velório do ministro Teori Zavascki, do STF, que vai aguardar que o Supremo indique um novo relator para os processos da Operação Lava Jato para só então escolher um nome para substituir o magistrado na Corte. "Só depois que houver a indicação do relator", disse Temer.

O regimento do Supremo prevê que a ministra Cármen Lúcia, presidente da Corte, pode decidir se os processos da Operação Lava Jato - que eram relatados por Teori - serão distribuídos para outro integrantes do STF ou se serão herdados pelo novo ministro, que deverá ser nomeado pelo presidente Michel Temer. Para chegar à Corte, o substituto deverá passar por sabatina na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado e ter o nome aprovado pelo plenário da Casa.

>> Em pesquisa, maioria acredita que morte de Teori foi crime

>> Opinião: A quem interessa a sabotagem ao avião de Teori?

>> Deputados do Paraná querem Moro na vaga de Teori Zavascki no STF

>> Em junho, Teori confirmou que ele e sua família sofreram ameaças

>> Teori julgou prisão de sócio de dono do avião que caiu

Velório

O corpo do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), está sendo velado desde 9h deste sábado (21) no Tribunal Regional Federal, em Porto Alegre (RS). O velório, aberto ao público, ficou inicialmente restrito aos familiares e amigos do magistrado. O sepultamento de Teori está previsto para as 18h, na capital gaúcha.

Entre os presentes, estão o presidente Michel Temer, a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, além de outros ministros da Suprema Corte, e o juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba e coordenador da Lava Jato em primeira instância.

Temer teceu elogios ao magistrado. “É um homem de bem. O que o Brasil precisa cada vez mais é de homens com a competência pessoal moral e profissional do ministro Teori. Que Deus conserve na memória dos brasileiros como um exemplo a ser seguido”, disse.

Moro comentou o papel que Zavascki cumpriu como relator no STF dos processos relacionados à Operação Lava Jato. "Há uma grande desolação da magistratura, de todos que o conheciam, especialmente aqui da 4ª Região, onde ele construiu sua carreira. Acredito que pela qualidade, relevância e importância desses serviços que ele prestava e pela situação difícil desses processos, ele foi um grande herói”, ressaltou.

O ministro Dias Toffoli se emocionou ao lembrar da amizade que mantinha com Teori. “É uma perda pessoal que nos abala e ainda estamos sofrendo muito com essa passagem do ministro Teori. Eu não poderia deixar de vir aqui dar um beijo neste grande amigo”, afirmou.

Toffoli também destacou o estilo que caracterizou a atuação profissional de Zavascki. “A simplicidade e a humildade dele marcarão para sempre a justiça brasileira. É uma grande perda para a nação brasileira e para o Poder Judiciário”, disse.

Com Agência Brasil