Renan diz que Senado é "hospício" e que sessão é demonstração de "burrice infinita". Veja vídeo

Presidente da Casa afirmou a Gleisi que conseguiu, junto ao STF, 'desfazer seu indiciamento'

O presidente do Senado, Renan Calheiros, fez duras críticas aos parlamentares em plenário após mais um bate-boca ser protagonizado pelos senadores Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Lindbergh Farias (PT-RJ), durante a sessão de julgamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, nesta sexta-feira (26). 

Renan Calheiros disse que o Senado estava perdendo a oportunidade de "se firmar perante a sociedade" como instituição, e que tinha a impressão que o julgamento ocorria em um "hospício". 

Renan afirmou ainda que o "confronto político" sobre a qualificação das testemunhas não era bom para ninguém. Acontecendo isso, ele afirma que poderá ser adiado o depoimento de Dilma, previsto para a próxima segunda-feira. "Nós não podemos apresentar esse espetáculo à sociedade", disse. O presidente do Senado afirmou ainda que a sessão era uma demonstração de que "a burrice é infinita".

Renan dirigiu ainda duras críticas à senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que na quinta-feira afirmou que o Senado não tinha moral para julgar Dilma. O presidente da Casa lembrou o indiciamento de Gleisi e de seu marido, Paulo Bernardo. 

"Como a senadora pode fazer uma declaração dessa, exatamente uma senadora que há 30 dias o presidente do Senado Federal conseguiu no STF desfazer seu indiciamento e de seu esposo? Isso é um espetáculo triste!" Os senadores responderam classificando a fala como "baixaria" e dizendo que Renan queria "botar fogo" na discussão. Alguns se levantaram e foram em direção ao presidente da Casa.

Diante do clima conturbado, O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, que conduz os trabalhos no Senado, decidiu antecipar a suspensão para o almoço.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais