'The Guardian' diz que grupo antiaborto desafiará o STF

Jornal britânico fala que ação se refere a mulheres com zika vírus

Matéria publicada nesta quarta-feira (20) pelo jornal britânico The Guardian conta que um grupo de mulheres ativistas que lutam pela legalização do aborto no Brasil levarão ao Supremo Tribunal Federal um pedido para que seja analisada uma possível mudança na lei, permitindo mulheres contaminadas com o Zika de abortarem seus fetos.

Segundo a reportagem, uma advogada especializada em bioética e direitos humanos disse "que as mulheres devem poder decidir de que maneiras encerrarão uma gravidez, porque estão enfrentando sérios riscos de terem filhos com microcefalia, e também por estarem sofrendo de sérios estresses mentais durante suas gestações. Elas não devem ser forçadas a continuar grávidas sob circunstância alguma.”

> > The Guardian Zika emergency pushes women to challenge Brazil's abortion law

O jornal britânico afirma que as mulheres utilizarão do argumento de que as leis brasileiras infringem os direitos humanos ao não permitir que as grávidas abortem seus fetos com deficiência. Além disso, outro argumento utilizado será o de que as autoridades de saúde pública brasileiras não estão conseguindo lidar com o surto de Zika. Neste ano, mais de 1.600 casos suspeitos já foram registrados no país.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais