Manifestantes pedem voto aberto na eleição para presidente da Câmara

Escolha do sucessor de Eduardo Cunha acontece nesta quarta-feira (13)

Marcada para esta quarta-feira (13), a eleição para a Presidência da Câmara dos Deputados é alvo de protestos em frente ao Congresso Nacional, em Brasília. Manifestantes estendem faixas pedindo que a escolha do sucessor de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que renunciou ao comando da Casa na última quinta-feira (7), seja realizada por voto aberto.

O líder do Psol na Câmara, deputado Chico Alencar (RJ), criticou a votação secreta e a sucessão de Cunha, que pode levar ao posto de presidente da Casa um de seus aliados. Candidato preferido do presidente interino Michel Temer e de Cunha, Rogério Rosso (PSD-DF) é um dos favoritos.

"A sucessão de Cunha na presidência da Câmara está marcada por um grave defeito: muitos nomes, falta de propostas. Conversas... de bastidores. O afã pelo poder, mesmo que por seis meses, faz com que sejam esquecidos o compromisso com a ética, a transparência, a independência em relação ao Executivo, uma pauta voltada para as reais necessidade da população (...) Mais um desprezo pela população que nos elege e sustenta! Em tempo: a votação para presidente da Câmara dos Deputados, ainda por cima, é secreta!", disse o líder do Psol, que deve apresentar candidatura nesta segunda-feira (11).

A eleição na Câmara está marcada para o início da noite desta quarta-feira e há expectativa de que possa adentrar a madrugada, já que será permitido o pronunciamento de cada um dos 513 deputados. Até agora, mais de 10 parlamentares disputam o cargo de presidente da Casa.