"Este parece ser um governo fraco, que cede à pressão", diz Marcos Lisboa sobre Temer

O economista Marcos Lisboa, presidente do Insper, em São Paulo, fez críticas ao governo do presidente interino Michel Temer e alertou para a necessidade de reformas estruturais para conter a trajetória da dívida.

"Ele [governo Temer] demonstra uma relativa dubiedade. Se por um lado tem falado em sacrifícios, em fazer reformas como a da Previdência, em propor o teto para os gastos e enfrentar uma série de problemas essenciais para superar o problema fiscal, por outro, no varejo, tem cedido aos grupos de pressão. Este parece ser um governo fraco, que cede a grupos de pressão. E ceder é ir na contramão do ajuste", disse, em entrevista à Folha de S. Paulo.

O economista destaca que espera que o que se viu durante a interinidade, "não tenha sido o prelúdio do que vamos viver depois de agosto. Pois o Brasil pode virar um grande Rio de Janeiro [que decretou estado de calamidade pública em junho]."

"A diferença entre o risco do Brasil e a situação do governo do Rio é que o governo federal pode recorrer ao aumento da inflação. Seria a retomada da inflação crônica. Não a melhor das escolhas."

>> Veja a entrevista na íntegra