PT e PSDB se unem na Câmara contra candidato de Cunha e Temer

As bancadas de deputados do PT, do PSDB, do PSB e do Psol formaram uma aliança informal para encontrar um candidato de consenso para a Presidência da Câmara dos Deputados e barrar a candidatura de Rogério Rosso (PSD-DF). Rosso pertence ao "centrão" que apoia o governo interino de Michel Temer e vem a ser, também, aliado de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que renunciou nesta quinta-feira (7) ao comando da Casa.

As bancadas do PT, PSDB, PSB e Psol somam 149 deputados. Há, ainda, alguns partidos pequenos que se juntaram a eles e são contrários à candidatura de Rosso. Os dois maiores blocos da Câmara - PTB-PP-PSC com 73 deputados e PMDB-PEN com 69 parlamentares - apoiam Rosso.

De acordo com o colunista Ilimar Franco, do Globo, o bloco informal do PSDB e do PT aposta na divisão do "centrão" em torno de Rosso e tem dois pretendentes a encarnar essa candidatura de oposição: Rodrigo Maia, do DEM, e Júlio Delgado, do PSB.

Para ganhar a eleição é preciso de maioria absoluta (metade dos votos mais um) e o quórum mínimo exigido é de pelo menos metade da Câmara, que tem 513 parlamentares. Para vencer no segundo turno o candidato precisa ter maioria simples (mais votos que seu adversário).