Delação de Funaro pode atingir 200 parlamentares

O corretor Lúcio Bolonha Funaro, preso pela Operação Lava Jato no dia 1º de julho, está negociando sua delação premiada. De acordo com o colunista Lauro Jardim, Funaro teria prometido entregar nada menos que 200 parlamentares.

Funaro é apontado como operador do deputado afastado Eduardo Cunha. Ele foi preso pela Polícia Federal, acusado de supostamente coordenar, ao lado de Cunha, um esquema de propina nos contratos do fundo de investimentos do FGTS, na Caixa.

No pedido de prisão, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse que Funaro é um “personagem antigo dos noticiários policiais nacionais, envolvido em grandes escândalos de corrupção do Brasil nos últimos tempos”. Janot afirmou, ainda, que “a proximidade” entre o operador e Cunha “é antiga e muito mais do que afirmam publicamente”. “Embora digam que apenas se conhecem, verificou-se um estreito e pernicioso relacionamento entre ambos”.

>> Funaro: "Eduardo Cunha pode implodir governo Temer"

>> A rede de escândalos de Lúcio Funaro

>> Funaro ameaçou colocar fogo na casa de delator com os filhos dentro