'Washington Post': Governo interino do Brasil é tão corrupto quanto o que foi forçado a sair?

Clima de incertezas no Brasil causadas por escândalos de gravações e delações 

Matéria publicada nesta sexta-feira (17) no jornal americano Washington Post fala sobre o caso da delação premiada de Sérgio Machado, que envolve nomes de alguns dos políticos mais renomados do Brasil, incluindo o atual presidente. 

Washington Post questiona: Mais acusações de corrupção no Brasil? E quais é a novidade nisso? E por que alguém deveria se importar?

A resposta, segundo o jornal americano, é que se for verdade o que falou Sergio Machado em sua delação, significa que o partido que está agora no poder é tão sujo como aquele que foi forçado a sair a mais de um mês atrás. O que deixa os brasileiros se perguntando, o que está por vir...

> > > Washington Post Is Brazil’s new government as tainted as the one it just forced out?

O delator em questão é Sérgio Machado, e o WP conta que ele foi presidente da Transpetro, empresa estatal de petróleo, por mais de uma década. 

O caso de corrupção da Petrobras, envolve bilhões de dólares em propinas e subornos pagos á políticos, partidos e executivos por empreiteiros. O escândalo contribuiu para a presidente Dilma Rousseff ser suspensa no mês passado e o Partido dos Trabalhadores é acusado de ter grande participação nestas negociações. 

Washington Post diz que o homem que a sucedeu, o presidente interino Michel Temer, e as figuras mais importantes de seu partido, o PMDB, estão envolvidas nos mesmos escândalos e quase que diariamente, mais uma informação vem á tona e gera insegurança ao povo brasileiro. 

Agora, com a lista completa de Sérgio Machado, colocando toda a classe política no mesmo nível, todos estão se perguntando se fizeram a escolha certa ao afastar Dilma e empossar Temer. 


Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais