Paulo Paim considera o impeachment um golpe contra democracia

Em um discurso emocionado na madrugada desta quinta-feira (12), o senador Paulo Paim (PT–RS) destacou os seus 30 anos como parlamentar e garantiu nunca ter vivido um momento “tão constrangedor”. Ele criticou o processo para afastar de “forma truculenta” uma presidente que foi eleita pelo voto popular. Para o parlamentar, o impeachment atenta contra a democracia.

O senador questionou a quem interessa o impeachment quando, segundo ele, a juventude, as mulheres, os artistas e até representantes dos empresários são contrários ao afastamento da presidente Dilma.

O parlamentar também fez críticas ao programa do PMDB para a retomada do crescimento, chamado “Uma Ponte para o Futuro”. Paim alertou para as reformas previstas na Previdência, que devem elevar a idade mínima para a aposentadoria.

Paim ainda acusou os ex-aliados do governo de desrespeitar acordos, partidos que “até ontem estavam desfrutando do poder” e que no outro dia “fazem uma oposição ferrenha como se nada tivessem a ver aquilo”.

— Eu não consigo de jeito nenhum aceitar o que está acontecendo. A democracia é a causa que dirige a liberdade, a igualdade, a justiça, os direitos humanos. É pela democracia que eu tenho a saúde, que eu tenho a educação, que eu posso estar nessa tribuna. Eu sou um amante da democracia e pela democracia eu dou a minha própria vida.