Ministro Gilmar Mendes vai relatar inquérito sobre Aécio Neves

Já Dias Toffoli foi sorteado para relatar abertura de inquérito contra Eduardo Cunha

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi sorteado para relatar o pedido de abertura de inquérito para apurar o envolvimento do senador Aécio Neves, do PSDB de Minas, com irregularidades em Furnas.

Já o relator do pedido de abertura de inquérito sobre envolvimento do presidente afastado da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, do PMDB, com fraudes em Furnas, será Dias Toffoli.

Os pedidos de investigação contra os dois políticos foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

>> Janot pede investigação de Aécio, Eduardo Paes e Carlos Sampaio

>> Em pedido de afastamento, Janot classifica Cunha como delinquente

Ontem (10), o ministro Teori Zavascki, relator dos processos relativos à Operação Lava Jato no STF, pediu à presidência do Supremo que os dois pedidos fossem redistribuídos.

Em despacho, Teori disse não ver “relação de pertinência imediata” da representação criminal apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra Aécio e Cunha, apesar de os indícios contra os dois parlamentares terem surgido em meio às investigações da Lava Jato. 

De acordo com manifestação de Janot enviada ao STF no pedido de abertura de inquérito contra Aécio, além das acusações contra o senador feitas pelo doleiro Alberto Yousseff em delação premiada, surgiram “fatos novos” a partir da delação do senador cassado Delcídio do Amaral.

Em relação a Eduardo Cunha, Janot argumenta que a delação de Delcídio revelou indícios da prática de corrupção passiva qualificada e de lavagem de dinheiro do peemedebista em fraudes de contratos de Furnas.