Temer e Renan se encontram na véspera da votação do impeachment

Vice recebeu vários parlamentares nesta terça-feira para discutir a definição do seu ministério

Na véspera da votação do parecer favorável à continuidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o vice-presidente da República, Michel Temer, reúne-se com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Por volta das 15h, Temer deixou o Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência, com destino à casa do presidente do Senado. A assessoria do vice não deu informações sobre o motivo do encontro. O senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima também participam da reunião.

Desde a manhã desta terça-feira, Temer vem recebendo políticos no Palácio do Jaburu. Ele almoçou com os deputados Heráclito Fortes (PSB-PI), Marcus Pestana (PSDB-MG), José Carlos Aleluia (DEM-BA), Roberto Freire (PPS-SP), Rubens Bueno (PPS-PR), Raul Jungmann (PPS-PE), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) e Benito Gama (PTB-BA).

O vice se reúne com parlamentares para estruturar a formação de seu ministério. Na segunda-feira, o vice definiu que serão 22 ministérios - o que representa um corte de dez dos atuais 32.

Sessão do Senado

Nesta tarde, Renan Calheiros deve anunciar como será o rito da sessão para análise da admissibilidade do processo de impeachment. O início da sessão está previsto para as 9h desta quarta-feira (11).

O quórum mínimo para votação é de 41 dos 81 senadores (maioria absoluta). Para que o parecer seja aprovado, é necessário voto da maioria simples dos senadores presentes – metade mais um. O presidente do Senado só vota em caso de empate.

Se for aprovado o parecer, o processo é oficialmente instaurado, e a presidenta Dilma Rousseff será afastada por 180 dias. Com isso, Temer assume a Presidência. Se o relatório for rejeitado, o processo é arquivado, e Dilma segue à frente do Executivo.