'El País': Presidente interino da Câmara suspende processo de impeachment de Dilma

Waldir Maranhão, que substituiu Eduardo Cunha, decidiu cancelar o processo 

O jornal espanhol El País noticiou nesta segunda-feira (9) a decisão do deputado Waldir Maranhão, que está ocupando o cargo de interino no lugar de Eduardo Cunha, decidiu cancelar o processo de destituição da presidente Dilma Rousseff.

Segundo a reportagem, não há detalhes completos da decisão, mas ela derruba as sessões de votação que ocorreram entre os dias 15 e 17 de abril e que deram andamento ao processo de impeachment. 

O jornal espanhol lembra que foi a sessão do dia 17 de abril, presidida pelo hoje presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha, que validou a admissibilidade do processo de impeachment que se encontra no Senado, e que deveria ser votado em plenário nesta quarta, 11.

O jornal El País conta que a ação de Maranhão tomou todos de surpresa: dos deputados da Câmara ao Palácio do Planalto. A informação chegou quando o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, estava discursando durante um evento no Palácio do Planalto sobre a criação de novas universidades. No mesmo evento, Dilma comentou a decisão de Maranhão, mas ainda sem ter certeza da informação, pediu cautela às pessoas que acompanhavam o evento: "vivemos conjuntura de manhas e artimanhas".

De acordo com o El País, em comunicado divulgado à imprensa, o presidente interino, que dará uma coletiva às 16h desta segunda-feira (9), explica que decidiu aceitar, em parte, ponderações contidas em petição da Advocacia-Geral da União que questiona a votação do processo de impeachment de Dilma na Câmara dos Deputados. O impeachment da presidenta foi aprovado por 367 votos contra 137.

Para ler matéria na íntegra, clique aqui:

https://internacional.elpais.com/internacional/2016/05/09/america/1462807439_526776.html

Leia Também a repercussão da decisão do deputado Waldir Maranhão nestes veículos internacionais:

> Le Monde

> The Guardian 

> Le Figaro

> Les Echos

> BBC UK