Líder do MBL tem mais de sessenta processos e deve R$ 4,9 milhões

Entidade também está sofrendo uma ação de despejo do imóvel que abriga a sede nacional

Um dos três líderes do Movimento Brasil Livre (MBL), Renan Antônio Ferreira dos Santos está enfrentando problemas judiciais. Ao todo, o líder do movimento criado para combater a corrupção e lutar pelo impeachment da presidente Dilma, é réu em 16 ações cíveis, além de outros 45 processos trabalhistas. No entanto, Renan nega o envolvimento com irregularidades.

Entre as acusações estão: fechamento fraudulento de empresas, dívidas fiscais, fraude contra credores, calote em pagamento de dívidas trabalhistas e ações de danos morais que somam R$ 4,9 milhões. Além dos problemas enfrentados por um dos principais líderes, o MBL está sofrendo uma ação de despejo da sede nacional, no Centro de São Paulo. O motivo do despejo seria a recusa em desocupar o imóvel após o pedido de devolução feito pelo proprietário.

Em uma entrevista concedida ao portal Uol, Renan chega a admitir uma dívida, mas alega que o débito é oriundo de suas atribuições como empresário, geradas, segundo ele, “pela dificuldade existente na atividade empresarial atual do Brasil”.

Sobre a ação de despejo, o líder do MBL também admite existir, porém nega que o local sirva de sede para o Movimento. “O MBL não tem sede. A gente usa lá, mas lá funciona uma produtora (NCE Filmes). A gente nunca conseguiu abrir um escritório do MBL, existe uma perseguição contra nós. A gente paga o aluguel lá absolutamente em dia, mas é apenas convidado de honra lá. Agora, teremos que achar uma nova sede". Porém, em documentos oficiais assinados pelo MBL, o endereço do local é atribuído à “sede nacional” do movimento.